• Pascom Diocesana

Morre aos 103 anos, Monsenhor José de Souza Neiva, relembre a história do sacerdote

Atualizado: Jul 6

Faleceu nesta terça-feira, 13 de outubro, o Pároco Emérito da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, Monsenhor José de Souza Neiva, aos 103 anos de idade e 78 anos de sacerdócio. Seu corpo está sendo velado na Catedral Diocesana e às 14 horas será realizada a Missa de corpo presente, presidida por Dom Antonio Tourinho Neto, restrita a padres, diáconos e familiares. A celebração será transmitida pela Rádio Excelsior Recôncavo e pelo Youtube e Facebook da Pascom Bom Sucesso.


Natural de Dom Macedo Costa, o Monsenhor Neiva, como é carinhosamente chamado, nasceu no dia 9 de abril de 1917, ano da revelação de Nossa Senhora em Fátima como a Senhora do Rosário. Foi batizado no dia 25 de abril do mesmo ano na cidade de Santo Antônio de Jesus.

Ainda na infância descobriu a vocação para o sacerdócio, quando aos sete anos de idade, seu pai o enviou para estudar na cidade vizinha de Conceição do Almeida, onde teve a oportunidade de se tornar coroinha e ter os primeiros contatos com a vida sacerdotal. Aos 12 anos, ingressou no Seminário Arquidiocesano de São Salvador da Bahia, onde viveu por 14 anos preparando-se para o ministério sacerdotal. Sua consagração presbiteral foi realizada em 21 de março de 1942.


Após ser ordenado, o neo-sacerdote foi designado para ser professor no Seminário Menor, em Itaparica, onde também cuidava das finanças. Em 1944 foi transferido para Baixa Grande e Macajuba, onde passou a dedicar-se às comunidades eclesiais. Foi pároco das cidades de Itaberaba, Rui Barbosa, Baixa Grande, Macajuba, Mairi, Ipirá, Lençóis, Andaraí, Sapeaçu e outras. Em 2 de fevereiro de 1964 foi nomeado Cônego Honorário da Catedral de Ruy Barbosa e em 6 de março de 1966 passou a ser o pároco de Cruz das Almas, onde residiu durante 54 anos.

No ano de 1971 foi nomeado Cônego da Catedral Metropolitana e Primacial de Salvador e, em 1973, passou a ser Monsenhor. Tornou-se, ainda, Membro do Conselho Presbiteral de Salvador e Vigário Episcopal da 4ª Região Pastoral, nomeado pelo então Arcebispo de Salvador, Cardeal Dom Lucas Moreira Neves.

Notável orador sacro, Monsenhor Neiva, sempre prendeu atenção da assembleia com seus substanciais sermões. Ficou conhecido como “Jequitibá do Recôncavo”, tornando-se uma forte referência da Igreja na região do Paraguaçu.

Encontro do Monsenhor Neiva com o Papa João Paulo II

Com o advento do Concílio Vaticano II, soube exercitar com competência as novas diretrizes, tornando efetiva a participação dos leigos nas atividades da Igreja, ajudando a gerar diversos movimentos em Cruz das Almas, como Cursilho da Cristandade, Encontro de Casais com Cristo, Escalada, Grupos de Jovens e diversas pastorais. Sempre foi um pastor presente e dinâmico na vida da comunidade. Com grande capacidade de aglutinar pessoas e erigir lugares, construiu dezenas de igrejas e comunidades eclesiais ao longo dos anos.

Em 2018 Monsenhor Neiva teve a alegria de celebrar seu centenário no mesmo ano de criação da Diocese de Cruz das Almas. Antigo sonho do sacerdote e um reconhecimento pelo seu pastoreio nesta Igreja do Recôncavo da Bahia.






Dados biográficos

  • Nasceu em Dom Macedo Costa no dia 9 de abril de 1917;

  • Batizado em 25 de abril de 1917;

  • Ordenado sacerdote em 21 de março de 1942;

  • Professor do Seminário Menor da Bahia, de 1942 a 1943;

  • Vigário de Baixa Grande e Macajuba, de 1944 a 1947;

  • Pároco de Itaberaba, de 1948 a 1965;

  • Diretor Geral do Ginásio de Itaberaba, de 1957 a 1963;

  • Nomeado Cônego Honorário da Catedral de Ruy Barbosa em 2 de fevereiro de 1964;

  • Nomeado pároco de Cruz das Almas em 6 de março de 1966;

  • Nomeado Cônego da Catedral Metropolitana e Primacial de Salvador em 5 de abril de 1971;

  • Nomeado Monsenhor pelo Santo Padre em 21 de junho de 1973;

  • Membro do Conselho Presbiteral de Salvador;

  • Vigário Episcopal, nomeado pelo Arcebispo de Salvador Cardeal Dom Lucas Moreira Neves em 29 de junho de 1989.



0 comentário
<