O Papa Francisco nomeou, nesta quarta-feira, 18 de agosto, o novo bispo da diocese de Penedo (AL). Dom Valdemir Ferreira dos Santos, atualmente bispo diocesano de Amargosa (BA), vai suceder dom Valério Breda, falecido em 16 de junho do ano passado.




Nascido em 30 de março de 1960, em nova Canaã (BA), dom Valdemir estudou Filosofia no Seminário Maior do Nordeste de Minas, em Teófilo Otoni (MG). Seus estudos de Teologia foram realizados na Pontifícia Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção, em São Paulo. Foi ordenado presbítero em 6 de setembro de 1987, em Ibicuí (BA).

Como padre, teve atuações como membro da equipe de Coordenação da Catequese do Regional Nordeste 3, coordenador da Pastoral Catequética na então diocese de Vitória da Conquista e coordenador da Pastoral Catequética do Sub-Regional V. Também foi professor no Instituto Diocesano de Filosofia, vice-reitor (1992-1994) e reitor (1995-1996) do Seminário Maior de Filosofia. Foi vice-presidente e depois presidente do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (1996-1997), reitor do Seminário Propedêutico (1997), diretor da Escola de Formação Diaconal Arquidiocesana (2007), entre outras funções. Antes de sua nomeação episcopal, foi membro do Conselho Presbiteral e do Colégio dos Consultores, e ecônomo arquidiocesano.

Dom Valdemir foi nomeado bispo de Floriano (PI), pelo Papa Bento XVI, em 17 de março de 2010. A ordenação, com a presença do então arcebispo de Vitória da Conquista, dom Luís Gonzaga Pepeu, e de seu antecessor, dom Geraldo Lyrio Rocha, à época presidente da CNBB, ocorreu em 30 de maio daquele ano.

Em 4 de maio de 2016, foi nomeado bispo de Amargosa, sendo transferido da sede de Floriano.

Seu lema episcopal é “Pasce oves meas” (Apascenta as minhas ovelhas) Jo 21,17.

Atualizado: Ago 18

Dom Antonio Tourinho Neto presidiu nesta segunda-feira (16) a Festa de São Roque, na Área Pastoral da Chapadinha, em Cruz das Almas. A Santa Misa foi concelebrada pelo Pe. Dvanildo Ribeiro e assistida pelos diáconos Hélio e Washington. A festa deste ano teve como tema: "São Roque cheio do Espírito Santo e Fé, ensina-me a viver o meu Batismo".











No domingo (15), dia em que a Igreja celebra a Solenidade da Assunção de Maria, o Cônego Hélio Vilas-Boas presidiu a Missa de Glorificação de Nossa Senhora, encerrando os tradicionais festejos realizados pela Irmandade de Nossa Senhora da Boa Morte.


Em sua homilia o cônego ressaltou a importância dessa celebração. “É a festa da comunhão, quando as Irmãs reverenciam com a Igreja a Bem- Aventurada Virgem Maria, em sua Gloriosa Assunção”, disse.


Nilza Prado de Carvalho, 79, integrante da Irmandade da Boa Morte não esconde a alegria de poder estar celebrando a Festa este ano. “Ano passado não fizemos por causa da pandemia e ela nos deu o direito de estar com saúde para esse ano fazer, pelo menos, essa pequena homenagem. Maria é a nossa mãe e nós temos que agradecer sempre”, diz.


Após o término da Missa a imagem de Nossa Senhora da Glória saiu em carreata, acompanhada pelas Irmãs, percorrendo as ruas do centro histórico da cidade.


As festividades deste ano foram restrita à confraria. Os devotos puderam acompanhar as celebrações através da transmissão no Youtube da Diocese de Cruz das Almas.


A Festa de Nossa Senhora da Boa Morte é uma das celebrações religiosas mais tradicionais da Bahia. Todos os anos é comemorada, do dia 13 a 17 de agosto, em Cachoeira. Este ano, devido à Pandemia da Covid-19, a festa foi reduzida para os dias 14, com a celebração da Dormição de Maria, Vigília e Missa do Corpo de Nossa Senhora da Boa Morte, presidida pelo Padre Adeilson Pugas e no domingo (15), a Celebração de Nossa Senhora da Glória.


Veja fotos e vídeo produzidos pela Pascom:




Fotos: Alan Bacelar/ Adailane Souza