A Congregação das Irmãs Mínimas de Nossa Senhora das Dores, nasceu em 1º de maio de 1868, em um pequeno vilarejo chamado Le Budrie, na província de Bolonha, na Itália. Fundado pela jovem Clélia Barbieri, desde então, as Irmãs Mínimas se espalharam por várias partes do mundo e, há cinco anos, encontram-se na Diocese de Cruz das Almas.


Carisma e Espiritualidade da Congregação


"Unamo-nos (juntos) para fazer o bem", é o carisma das Irmãs Mínimas de Nossa Senhora das Dores, tendo sua Espiritualidade "Mariana e Eucarística" .


Santa Clélia deixou a herança da devoção à Santíssima Virgem das Dores, que inspirou o nome da Congregação.


A Congregação pelo Mundo


Profeticamente, Santa Clélia havia dito "Você se espalhará pela planície e pela montanha, para trabalhar a vinha do Senhor".


Em 1969, o primeiro grupo de meninas da Índia entrou para a Congregação, depois de freiras voltaram para suas cidades em Missão. Em 1974, as Irmãs partiram para o continente Africano, na Tanzania.


A Congregação espalhou-se por várias partes do mundo: na Itália, Índia, África e Brasil.


Chegada ao Brasil


Em 2001, chegou ao Brasil, precisamente em Salvador, na Bahia, onde tem uma Comunidade há 20 anos, sendo que duas religiosas são filhas da terra.


Em 26 de maio de 2016, chegou à Diocese de Cruz das Almas, especificamente na Paróquia Nossa Senhora da Soledade, em Acupe, distrito de Santo Amaro da Purificação, onde encontra-se a Comunidade de São José composta atualmen pelas irmãs Damiana Kivamba (tanzaniana, 20 anos de profissão religiosa), Kalista Kisinga (tanzaniana, 24 anos de vida religiosa) e as Postulante: Daniela (filha da Diocese de Cruz das Almas) e a Postulante Alda (filha da Diocese de Jequié).


Campo de Missão


Faz parte da missão dessa Congregação: a catequese, visita às famílias e acompanhamento nas comunidades da zona rural.


Sobre a Fundadora




Clélia era quase analfabeta, nunca tinha frequentado a escola e o pouco que sabia foi ensinado por sua mãe, em casa, pois sua família era muito pobre. Ao longo da sua vida, a sua espiritualidade foi marcada pela devoção a Nossa Senhora das Dores e à Santa Cruz.

A jovem sempre teve o desejo de servir aos pobres e aos mais vulneráveis. Com outras três companheiras, fundou as Irmãs Mínimas de Nossa Senhora das Dores, em uma casa muito humilde. É a fundadora mais jovem da história da Igreja.


Santa Clélia Barbieri faleceu tendo completado apenas 23 de idade. Ela faleceu no dia 13 de julho de 1870, vítima de tuberculose. Em 1989, ela foi canonizada pelo Papa João Paulo II. Um ano depois, o mesmo Papa a proclamou "Padroeira das Catequistas".



Texto: Adailane Souza/PASCOM




Aconteceu nesse sábado (4), na Comunidade das Irmãs Mínimas de Nossa Senhora das Dores, em Acupe, distrito de Santo Amaro da Purificação, o encontro dos Religiosos da Diocese de Cruz das Almas.


O encontro teve a participação do Bispo Diocesano, Dom Antonio Tourinho Neto, do Coordenador da Comissão Teológica e Bíblio-Catequética, Padre Gilson Magno e dos religiosos de várias congregações presentes na Diocese.


Programação

A programação teve início com acolhida, logo após, Dom Antonio Tourinho Neto manifestou a alegria pela presença de todos e pela realização do encontro, depois de quase dois anos de pandemia da Covid-19. Em seguida, houve um momento de oração, conduzido pelas Irmãs Filhas de Sant’Ana.

O Padre Gilson Magno refletiu sobre o "Documento Anunciai", iniciando a sua fala afirmando que aquele era um momento teológico e destacou alguns pontos importantes para a espiritualidade dos consagrados, entre eles: a obediência; o silêncio e a vida de oração.


Durante a sua fala o padre ressaltou o desejo da Igreja para os Consagrados, de despertar o mundo, de modo profético, sendo anunciadores da alegria do Evangelho. Por fim, apresentou os verbos que devem reger a missão da Vida Consagrada: ver, comover-se e agir.


Após o momento de partilha, o encontro foi encerrado com um almoço.




Texto: Adailane Souza

Atualizado: há 7 dias

O livro "A Virgem Mãe do Bom Sucesso Padroeira de Cruz das Almas e Titular da sua Diocese" de autoria de Luiz Francisco da Silva Souza foi lançado oficialmente no sábado (4) com uma live realizada na Catedral Diocesana, com presenças do Bispo Dom Antonio Torinho Neto, do Cura da Catedral, Pe. Josevaldo Carvalho e mediação do Diácono Alan Bacelar. Em razão das medidas preventivas ao Covid-19 o evento aconteceu sem a presença de público.

O Bispo Diocesano fez o texto de abertura do livro com uma reflexão teológica sobre a evocação "Bom Sucesso". Foto: Mário Jorge / PASCOM

A live transmitida pelo canal da Diocese no YouTube e pela Rádio Excelsior Recôncavo FM foi acompanhada simultaneamente por centenas de pessoas e encontra-se disponível (aqui) para quem desejar conhecer sobre a obra que apresenta uma relevante pesquisa sobre o título "Bom Sucesso" atribuído à Nossa Senhora e sobre a criação da Diocese de Cruz das Almas, primeira no mundo a ser consagrada à Nossa Senhora do Bom Sucesso".


O evento produzido pela Pascom Diocesana contou com a participação de devotos de Nossa Senhora do Bom Sucesso, como Dona Zinha, de 98 anos, que narrou fatos memoráveis sobre a devoção em Cruz das Almas, e do músico cruzalmense Forrojão, que apresentou o hino dedicado à Padroeira da Diocese.


VENDA

O livro encontra-se disponível na Cúria Diocesana, na Praça Senador Temístocles, e até o dia 15 de setembro, no stand de vendas montado na Festa da Padroeira, em Cruz das Almas. Em breve poderá ser encontrado em todas as paróquias da Diocese.

Informações pelo e-mail: contato@diocesedecruzdasalmas.com.br


Todo o valor adquirido com a venda será doado a Obra das Vocações Sacerdotais (OVS).