Ao Clero, Religiosos (as), Leigos (as) e a quem mais interessar esta nota.


Tendo em vista o agravamento da pandemia da COVID-19 na Bahia e em atenção ao decreto publicado pelo Governo do Estado, durante o período de 22 de fevereiro a 28 de fevereiro de 2021, que entre outras medidas estabelece restrições de locomoção e suspende a realização de eventos religiosos com a presença de público, orientamos:


1) Fica suspenso qualquer evento religioso como determina o decreto do senhor Governador do Estado, inclusive as Santas Missas, com a participação de fiéis.


2) As Missas em ação de graça pelas posses dos futuros párocos serão mantidas nas datas previstas, recomendamos que aconteçam com poucas pessoas (membros do Conselho Paroquial), sem confraternizações e que atentem ao horário do Toque de Recolher.


3) Todas as celebrações podem e devem, na medida do possível, ser transmitidas pelos meios de comunicação a nosso alcance; os fiéis sejam avisados para que possam acompanhar e se unir, na medida do possível, em família, para rezarem no momento celebrativo.


4) Não obstante, faz-se necessário seguir o regimento de cada município, em particular, a respeito do Decreto emitido pelo Governo do Estado.


Registramos que, desde o início da pandemia, nossa Diocese vem contribuindo com as autoridades sanitárias, respeitando todas as medidas, orientando aos fiéis e prestando assistência religiosa-espiritual e material, principalmente aos mais vulneráveis. Permaneceremos com o mesmo empenho na responsabilidade com a prevenção, controle da pandemia e na preservação da vida.


Esperávamos que as autoridades civis levassem em consideração tudo que foi citado acima, pois a Igreja é uma das entidades que vem patrocinando, rigorosamente e responsavelmente, as medidas cautelares em favor da vida e contra a infecção do Coronavírus.


É lamentável que o acompanhamento espiritual dos fiéis, em tempo de isolamento social prolongado, seja considerado não essencial por parte da autoridade competente.


Que o Senhor Jesus nos favoreça, pela intercessão de Nossa Senhora do Bom Sucesso e São José, neste ano dedicado a ele.



Cruz das Almas, 24 de fevereiro de 2021.



Dom Antonio Tourinho Neto

Bispo Diocesano de Cruz das Almas

342 visualizações0 comentário

Missa marcou a criação da Área Pastoral São Roque. Além do Pe. Dvanildo, o Diácono Marcos Paulo também foi nomeado.




No primeiro domingo da Quaresma (21), o Padre Dvanildo Ribeiro foi apresentado à comunidade São Roque, na Chapadinha, em Cruz das Almas, como novo vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso e primeiro administrador da Área Pastoral São Roque. A Celebração foi presidida por Dom Antonio Tourinho Neto, concelebrada pelo Padre Josevaldo Carvalho e assistida pelos diáconos Sdney, Marcos Paulo e Washington Murilo.


Após saudação inicial do Bispo Diocesano, foi apresentado pelo Pároco da Catedral, Pe. Josevaldo, as motivações para a criação e características da nova área pastoral que será composta por 14 comunidades. “O objetivo é de futuramente ser criada uma nova paróquia em Cruz das Almas, a Paróquia de São Roque da Chapadinha”.



Além do Padre Dvanildo foi nomeado o Diácono Permanente Marcos Paulo, para dar assistência à região recém-criada. “Achamos por bem, para auxiliar o novo gestor dessa Área Pastoral, nomear um diácono permanente para exercer seu ministério sob a responsabilidade do Pe. Dvanildo”, explicou Dom Tourinho.




O Bispo Diocesano agradeceu ao Pe. Josevaldo e a todos os colaboradores pela assistência durante esses três anos à imensa Paróquia. Ao entregar a provisão do Padre Dvanildo, o Bispo dirigiu as seguintes palavras: “Caro Padre, que o senhor seja muito feliz em sua nova comunidade paroquial, na Paróquia Nossa Senhora do Bom Sucesso, e também como gestor dessa nova área pastoral que hoje erigimos. Felicidades, São Roque e Nossa Senhora intercedam por você”.


Em seu discurso, o Pe. Dvanildo acolheu com alegria a nova missão e disse que espera contar com a ajuda de todos os fiéis. “Estou feliz por assumir esta nova missão, sei que poderei contar com a colaboração de cada um, digo de coração aberto: podem contar comigo”.


O novo gestor da região recordou o processo de criação da Paróquia Nossa da Vitória, onde foi o primeiro pároco, e disse que está diante de um novo desafio, de contribuir com a criação de uma nova paróquia. “Configura-me a responsabilidade de reger a vida dessa Área Pastoral, sou consciente dos desafios, por isso estou colocando-me como um barro nas mãos do oleiro, confiante não em mim, mas na graça de Deus, esperançoso de que encontrarei pessoas boas, acolhedoras e de bom coração, para juntos sermos colaboradores no anúncio da boa nova”, conclamou.


Área Pastoral São Roque

Com sede na comunidade São Roque, Bairro da Chapadinha em Cruz das Almas, a nova área será composta por 14 comunidades:


Comunidades urbanas: Santo Antonio (Rua Santo Antonio), Nossa Senhora de Fátima (Sorriso), Nossa Senhora das Graças (Dona Rosa).


Comunidades Rurais: São Roque (Cadete), Santo Antonio (Caminho A), Bom Jesus (Tapera), São Roque (Combê), Bom Jesus (Corta Jaca), Nossa Senhora Aparecida (Engenho de São João), Santo Antonio (Tintureiro), Nossa Senhora das Candeias (Três Bocas), Bom Jesus (Tuá), Deus Menino (Vapor).


Padre Dvanildo


Natural de Cruz das Almas, Padre Dvanildo de Jesus Ribeiro tem 37 anos de idade e seis anos de sacerdócio. Foi Vigário Paroquial na Paróquia São Bartolomeu, em Maragogipe, Administrador Paroquial na Área Pastoral Nossa Senhora da Vitória, em São Roque do Paraguaçu, foi o primeiro pároco da Paróquia Nossa Senhora da Vitória, onde permaneceu durante quatro anos.



Fotos: Pascom/Catedral




199 visualizações0 comentário

A Diocese de Cruz das Almas emitiu nesta terça-feira (16), uma nota oficial sobre o Tempo Litúrgico da Quaresma e sobre a Campanha da Fraternidade Ecumênica 2021, que iniciam na quarta-feira de Cinzas (17). Confira, abaixo, a íntegra do documento ou clique aqui para download.




NOTA DA DIOCESE DE CRUZ DAS ALMAS

SOBRE O TEMPO LITÚRGICO DA QUARESMA E A CAMPANHA DA FRATERNIDADE



“Humilhem-se debaixo da poderosa mão de Deus, para que ele os exalte no tempo devido. (1 Pedro 5,6)


Aos Sacerdotes, Diáconos, Religiosos(as) de vida consagrada, Seminaristas, Conselho de leigos e a todo o Povo de Deus da Diocese de Cruz das Almas.


1. A Quaresma é o tempo litúrgico de conversão, por isso não se pode e nem se deve desviar a atenção dos elementos imprescindíveis oferecidos pela Santa Mãe Igreja para que se execute pessoalmente, em família e na comunidade cristã os quarenta dias de retiro espiritual que começam na Quarta-feira de Cinzas e finalizam na Quinta-feira Santa à tarde, em preparação à Páscoa da ressurreição do Senhor Jesus.


Lembremos que as lutas espirituais só se combate com armas espirituais. Por isso, faz-se necessário lançarmo-nos, com empenho, às práticas dos elementos imprescindíveis à conversão: jejum, abstinência, esmola, sacrifício, oração e escuta da Palavra de Deus.


2. O Sacramento da Confissão rege o tempo litúrgico quaresmal e deve ser almejado e buscado após um profundo e sincero exame de consciência. Também, a Virtude Teologal que orienta a prática dos cristãos neste período é a “Caridade”, que se concretiza principalmente por meio das obras de misericórdia espirituais e corporais.


3. Aconselho que os diocesanos enriqueçam essas práticas lendo e meditando a mensagem do Papa Francisco por ocasião da Quaresma de 2021.


4. Este ano, a Campanha da Fraternidade traz como tema geral “o diálogo”, como tema específico “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor” e o lema “Cristo é a nossa paz; do que era dividido, fez uma unidade.” (Ef 2,14).


Trata-se de uma campanha ecumênica, isto é, em comunhão com outras denominações cristãs e que fazem parte do CONIC (Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil). Diante das polêmicas em relação aos temas apresentados pelo texto base confeccionado por esta entidade, a Diocese de Cruz das Almas orienta, por meio desta nota, os ministros ordenados e os fiéis leigos a não entrarem em mérito de questão e determina que os pastores do povo de Deus cuidem de promover a autêntica espiritualidade quaresmal e litúrgica junto às diversas comunidades. Para o desenvolvimento da CFE 2021, adotamos, como Igreja particular, o material confeccionado pelo Regional Nordeste 03 da CNBB (Bahia e Sergipe), elaborado por uma equipe genuinamente católica, acompanhada por um Bispo referencial orientador dos textos das nossas campanhas. Nesse sentido, não temos o que recear e não precisamos lançar mão do texto base oferecido pelo CONIC.

5. A Diocese de Cruz das Almas não se posiciona contra nenhuma Campanha da Fraternidade, pelo contrário, vê em cada uma, a cada ano, um valor incomensurável ao prestar à população brasileira um serviço de conscientização social, o qual constrói uma cultura de fraternidade com apontes aos princípios de justiça; denúncias às ameaças e violações da dignidade e dos direitos humanos; abrindo caminhos de solidariedade e paz. Entretanto, a nossa Igreja particular não deverá abraçar uma proposta de ecumenismo quando esta for trilhada em defesa de temas contrários à autêntica doutrina Católica. Como também, considera um reducionismo perigoso e inaceitável ao se tentar restringir a espiritualidade quaresmal à prática da Campanha da Fraternidade, evidenciando-a como ponto central do tempo da quaresma na Igreja do Brasil. Com certeza, esta nunca foi a intenção da Conferência Nacional dos Bispos, tampouco a intenção da Igreja particular do Recôncavo Baiano.


6. O tema da CF deste ano, “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor” foi enriquecido com o lançamento, no dia 3 de outubro de 2020, da Encíclica Fratelli Tutti – “Todos irmãos” do Papa Francisco. Trata-se de um documento sobre “a fraternidade e a amizade social”. O Sumo Pontífice apresenta nesta Encíclica o desafio da fraternidade proposta por Jesus: “amar o próximo como a mim mesmo”. A Diocese de Cruz das Almas incentiva aos diocesanos fazerem da Encíclica “Fratelli Tutti” um instrumento de leitura e de exercício meditativo durante o período quaresmal.


7. A Conferência do Bispos do Brasil oferece alguns encaminhamentos práticos em relação à coleta em favor da CF-Ecumênica 2021. Desde já, informo que, por unanimidade, os padres do conselho presbiteral foram a favor de que precisamos manter a unidade com toda a Igreja do Brasil em relação a coleta. Por isso, haverá a coleta da CF Ecumênica na Diocese de Cruz das Almas. Nenhuma paróquia deve se eximir. Quanto ao aplicativo dos recursos enviados para as maiores instâncias, que eles prestem contas à Deus.


  • Para a coleta nacional da solidariedade, a ser realizada no dia 28 de março, não teremos os tradicionais envelopes;


  • Como no ano passado, os fiéis que desejarem poderão fazer suas doações por meio do site doe.cnbb.org.br. Ali, é possível identificar a Diocese à qual pertence de modo que os 60% de sua doação serão repassados àquela Igreja particular;


  • No site campanhas.cnbb.org.br temos todo material para formação;


  • Também, no canal das Edições CNBB no YouTube, temos três vídeos que ajudam a conhecer um pouco mais o tema proposto.


8. Diante deste tempo de pandemia em que não sabemos quando a vida social e religiosa poderá voltar à normalidade, faz-se necessário apresentar algumas orientações diocesanas em relação à prática dos exercícios quaresmais e da recepção ao Sacramento da penitência.


De acordo com o Decreto da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos; com os cânones do Código de Direito Canónico sobre a confissão individual e a absolvição coletiva; com o Decreto da Penitenciária Apostólica relativo a indulgências; em relação à nota da mesma Penitenciária sobre o Sacramento da Reconciliação, resolvi deliberar para a Diocese de Cruz das Almas as seguintes normas:


a) De acordo com o Cân. 961 § 2, enquanto durarem as limitações ao exercício normal da vida religiosa coletiva, concedo aos Párocos e aos vigários paroquiais, exclusivamente no tempo da quaresma, a faculdade extraordinária de absolver coletivamente os idosos, isto é, pessoas com mais de sessenta anos e aquelas tidas participantes de grupos de riscos, porém, com as seguintes condições: ser-lhes explicado que após o regresso das condições normais, passado o perigo da pandemia, devem realizar a confissão “individual e íntegra” das faltas graves; tentar recitar a fórmula da confissão ou acompanhá-la mentalmente; que a absolvição seja dada mediante contato visual e presencial; e que os penitentes rezem pelas intenções do Papa e do Bispo diocesano.

b) Convido os Párocos e Vigários paroquiais a transmitirem aos que sofrem a enfermidade do Covid-19, aos familiares e a quantos os cuidam, especialmente aos profissionais de saúde, mediante telefonema ou presencialmente, se as condições o permitirem, o dom da indulgência especial que a Igreja lhes concede neste ano dedicado a São José. Para usufruírem da graça da indulgência, será necessário que eles estejam dispostos a oferecerem seus sofrimentos pela conversão dos pecadores, pela Igreja perseguida e pelas intenções do Papa e do Bispo diocesano.


c) A Missa Crismal da Quinta-feira Santa será celebrada na Catedral de Nossa Senhora do Bom Sucesso, com a presença de todo o clero, se as circunstâncias o permitirem.


d) Os batismos de adultos, eventualmente programados para a Vigília Pascal, só serão realizados caso as circunstâncias permitirem.


e) As confissões auriculares para os fiéis com a idade abaixo dos sessenta anos e que não fazem parte do grupo de risco devem ser mantidas e ministradas pelos sacerdotes de acordo com as normas estabelecidas pela vigilância sanitária e autoridades competentes. Faz-se necessário levar em consideração a facilidade ao acesso à confissão individual, com horários estabelecidos a um número limitado de fiéis, agendado, a fim de evitar aglomerações e obedecer ao distanciamento estabelecido entre o fiel e o sacerdote.

f) Fora das condições que a justificam, não se pode dar absolvição coletiva.

g) As celebrações do Tríduo Pascal seguirão as normas estabelecidas por cada paróquia, da mesma forma que vêm acontecendo em relação às missas dominicais.


Conclusão: Neste momento de prova, confiamo-nos aos cuidados de Nossa Senhora do Bom Sucesso, Padroeira da nossa Diocese a quem, aliás, já consagrei quantos habitam na sua área. Ela nos conceda o dom da total fidelidade a seu Filho e nosso Salvador Jesus Cristo.


Que São José, Patrono da Igreja Universal, neste ano dedicado a ele, zele por todos nós, assim como zelava do Menino Jesus e da sua amadíssima esposa no sagrado lar em Nazaré.


Cruz das Almas, 17 de fevereiro de 2021.

Quarta-feira de Cinzas



Dom Antonio Tourinho Neto

Bispo diocesano


967 visualizações0 comentário
LOCALIZAÇÃO

Tel (75) 3621-2686

 

Praça Senador Temístocles, s/n – Centro

Cep. 44.380-000 Cruz das Almas – BA.

e-mail: contato@diocesedecruzdasalmas.com.br

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Google+ Icon

© 2018 por Diocese de Cruz das Almas. Pastoral da Comunicação Diocesana.